ARTIGOS
 
03/02/2016 - 09:54h
ESCOLHENDO E PREPARANDO SEU BICUDO

COMO PREPARAR UM BICUDO?

Amigos, muito se tem falado sobre a preparação de novos pupilos e muitos novos criadores têm "sofrido" com essa tarefa. Gostaria de escrever sobre minhas experiências e observações desde 2003 quando adquiri o meu primeiro bicudo. Espero, sinceramente, que as informações sirvam para o aprendizado e crescimento de todos os apaixonados pelos bicudos.

O que pude observar ao longo deste tempo é que o criador precisa de 3 qualidades essenciais:

1 - Observação: Criador que não sabe observar, geralmente se dá mal!
Mas o que seria essa observação?
O que observar?
Como fazer?
Vamos investir um pouco de tempo descrevendo algumas ações que definem o bom observador, usando sempre exemplos. Imagine-se na situação: 

Você escolhe um criatório para conhecer, agenda a visita e finalmente, vai até lá. O que observar? Claro que a resposta deve ser: Os pássaros. Mas além disso, o ambiente, a alimentação, o manejo... isso tudo é meio padrão??? Negativo. Essa observação pode lhe mostrar muito sobre a saúde do plantel e a qualidade geral da ave. Mas não é só isso...

Muita gente se esquece de observar e anotar sobre a rotina do criatório. A rotina é determinante para a saúde, adaptação e para o rendimento do pássaro.

É neste momento que acontece:

"Adquiri uma criadeira que não criou comigo!"
"Este bicudo repetia muito lá, aqui não repete tanto!"
"Eu vi este bicudo galando, aqui ele não vai!"
"O filhote estava bem, churrilhando bastante. parece que ficou triste na minha casa!"

Uma transição planejada, com o máximo de informações, pode ser determinante para o sucesso da empreitada. Voltaremos a este assunto no decorrer do artigo.

2 - Paciência: O bicudo é um pássaro que vive muito. Seu amadurecimento se dá a partir dos 4 pra 5 anos. Hoje em dia, com os cruzamentos direcionados e todo o investimento em genética, os pássaros são cada vez mais precoces, mas não se deixe enganar pelo tanto que seu pássaro canta.
Ter um bicudo ou um criatório de bicudos é um processo de planejamento e firmeza de propósitos. Não queime etapas!

Imagine-se na seguinte situação:

Você adquire um bicudo preto que viveu a vida inteira num mesmo local, ele chega em sua casa e o que é normal acontecer? Ele pode chegar quente, cantando, mas com certeza irá diminuir desempenho. Dependendo da época e manejo, poderá até entrar em muda novamente. Então, deve-se esquecer o que aquele pássaro te mostrou e um novo relacionamento começa.

Vá com calma.

3 - Humildade: Não ache que sabe tudo, escute com calma e atenção todas as histórias e causos. Retenha o que é bom. Uma postura arrogante, do tipo já sei isso pode disperdiçar boas dicas. Ninguém sabe tudo.

Imagine-se na seguinte situação:

Você tem um bicudo fera, muito cantor, já de torneios. Você já tem bicudos a muitos anos e preparou este pássaro do zero. Chega em casa e ele está diferente, o que fazer? Um amigo meu passou por isso há poucos dias... o que ele fez? Ligou pra outro amigo, e disse tudo que fez. Depois perguntou, o que eu faço? A resposta foi brilhante: - Não sei. Leva na veterinária!
Resultado: Pássaro Salvo! O que ele havia feito estava certinho, foi elogiado pela veterinária, mas se não tivesse levado perderia o pássaro.

Sabendo disso, escolhe-se o objetivo. Vou escrever sobre a criação de bicudos de fibra, então não espere dicas para ter um bicudo de canto. Não entendo nada de canto!

A partir da escolha, inicia-se o processo com a aquisição. Adquirido o bicho, começa a preparação. Bicudos de fibra devem ser "sem vergonha". A primeira etapa é o treino para que não estranhe locais, movimentos e pessoas diferentes. Quem consegue tempo para isso, geralmente tem sucesso. O uso da capa é obrigatório, muitos pássaros tem medo de capa por total falta de uso de seus donos.
Mas o excesso de capas é terrível. Morar na capa é péssimo, o pássaro tem seu território diminuído e a quantidade de sol que pega é limitada. Sem falar na limpeza!
Recomendo começar a passear após a muda de pardo pra pardo ou pintado. Mais ou menos a partir dos 8 meses já é uma boa idade para passeios. Antes disso você pode ir mudando ele de lugar dentro da sua casa. A cada semana num prego diferente, sempre em locais de movimento.
Mas cultivar um local para dormir e sempre usar o mesmo local é importante!
Vamos para o primeiro exemplo:
Mirião - com 8 meses ele viajava para os torneios comigo. Geralmente ficava no carro. Com 1,5 anos, pintado sempre passeava. Com 3 anos, já preto, começamos com os torneios. Um detalhe interessante foi que nas primeiras MUITAS passeadas, ele não cantava. Simplesmente não cantava! Não entendia isso. Mas aos poucos ia se soltando. E todo ano é a mesma coisa. Foram 3 torneios para ele começar a cantar na roda. Aí parava de cantar toda vez que alguém chegava perto da gaiola. Foram 7 torneios até cantar pela primeira vez com gente marcando... 
 
Firmeza de propósitos. Se fosse fácil fazer um campeão...
Este foi o exemplo de um bicudo que nasceu em minha casa, tenho o histórico do pai e da mãe, conheço todo seu potencial genético e cada mania sua. Mas e quando o pássaro é adquirido já com 2 ou 3 anos??? Qual a rotina? Como foi manejado? O que ele conhece?
Com certeza é um desafio, mas tem suas vantagens, você identificará o que ele mais gosta de uma forma mais rápida. Ele será desconfiado, pode demorar para dar o primeiro canto... A vantagem é que os resultados podem ser observados de forma rápida.

Defina objetivos:
1 - Em todo o lugar que pendurar ele deve cantar.
Alguns pássaros respondem imediatamente a este manejo "louco". Outros demoram mais. Porém é base para todo o resto. Lembre-se: bicudo de fibra deve ser "sem vergonha".
Este processo pode demorar e resultar no descarte do pássaro, se o objetivo era ter um bicudo de roda. Mas não o descarte antes de esgotar as possibilidades.

2 - A parte boa é que outras ações podem ser realizadas em paralelo, tais como acasalamento e disputas com outros bicudos. Minha dica para escolha da fêmea é que ela tenha a idade dele. Deixe-os dormir lado a lado e, tendo disponibilidade, mude-a de lugar junto com ele e até passeie junto. Aos poucos eles trocarão piados e começam a conversar...

3 - Disputas, neste período em que o bicudo ainda não canta em qualquer lugar, somente em casa. Não force o pássaro. Aos poucos o pássaro irá lhe dizer o que ele gosta. Voltemos à observação, paciência e humildade:
Quando começar a forçar? Quando dar o próximo passo? Quando levar pela primeira vez ao torneio ou à disputas fora de casa? Quando seu pássaro estiver pronto! Como saber se ele está pronto?
Essa é fácil. Um bicudo pronto canta o dia todo e geralmente dispara quando vê sua fêmea. Se o seu bicudo não está cantando o dia todo, ele não aprontou. Passeio, banho de sol, fêmea, outros bicudos... são os estímulos que podem ajudar a abrí-lo e aprontá-lo.

Alertas:

Embora os calendários de torneios sejam com início em agosto, o calendário dos bicudos é de outubro em diante. Pelo menos o ideal. Aqui no Quinto Dia, ninho somente em novembro. Então, não exija que seu pássaro esteja pronto de acordo com as datas de torneio, isso envolve muitas outras variáveis (prometo que falo disso depois).

E não queira que ele apronte em disputa!

Alguns exemplos que podem contribuir com o aprendizado de todos:

Certa vez peguei um bicudo 
muito quente, fibrado demais. Foi disponibilizado pra nós pois começou a bater nas fêmeas ao invés de galar.
Muito quente, chegou e foi um sufoco pra fazê-lo mudar. Resultado, muda fora de época. O que compromete toda a temporada seguinte.
Foi para um novo lar, e após muda estava demorando a abrir. Muito manejo, muitas tentativas e aí recorri a rotina. Lembra que falamos de rotina lá em cima???
O antigo dono deixava os pretos mudarem vendo as fêmeas, em gaiolões. Recomendei este manejo, com a fêmea numa parede e ele em outra, se vendo. O bicudo foi melhorando e melhorando. Finalmente num primeiro teste já deu Show e cantou de cara de 8 as 14h sem parar e repetindo bem.

Bicudo Gengis Khan
Excelente bicudo. O melhor que já tive. Fera, sempre cantava nos torneios, mas sem fêmea. Depois que virou galador, parou de cantar fora de casa. Isso é sério, tem bicudo que só serve pra um ofício. Ou gala, ou torneio. Pense nisso!

Dúvidas, críticas ou sugestões: rafael@quintodia.com.br

< voltar

 
 
www.quintodia.com.br - 2017 - Desenvolvimento: