ARTIGOS
 
21/09/2013 - 18:40h
COMPROMISSO

COMPROMISSO

Após a palestra realizada na AOPE em agosto, assumimos um compromisso com nossos amigos que gostariam de saber mais sobre o conteúdo exposto naquela oportunidade. Lá iniciamos falando sobre o compromisso que todo criador deve ter com seus pássaros. Em qualquer criatório os pássaros são a razão de ser, portanto, independente da paciência, do tempo, do cansaço ou qualquer outro impeditivo... nós temos um compromisso com nossos pássaros.

E o que quer dizer Compromisso? Segundo a wikipedia, é a forma, pública ou não, de se vincular ou assumir uma obrigação com alguém, com algum objetivo. Compromisso é, portanto, uma responsabilidade adquirida em virtude de uma afirmação verbal ou escrita, feita por nós mesmos.

Porque isso é tão importante??? Simples. Temos alguns motivos e o primeiro é porque como disse Antoine de Saint-Exupéry: “Somos responsáveis por aquilo que cativamos”. Apenas esse já seria o motivo suficiente. Mas também é importante lembrar a dependência que se gera quando se domestica um animal. Por isso a posse responsável é um outro grande motivo.

Em alguns países se trata deste assunto com mais rigor e uma posse irresponsável pode gerar multa e até prisão. No Brasil, temos uma legislação mais frouxa para a maioria dos animais de estimação, mas para os pássaros nativos a coisa muda de figura e o cuidado é uma obrigação legal do criador para com o Estado e é alvo de fiscalização.

Independente de quem vigia o que, esse compromisso é uma obrigação. O pássaro domestico não pode obter abrigo, comida, água fresca, medicamentos, sol, sombra... por si só. Seu dono é quem deve prover isso tudo.

Portanto, quando você pensar em possuir um bicudo, pense no tempo necessário para o devido cuidado, no local adequado para ele ficar, na gaiola ideal, na alimentação, no manejo, nas trocas de água no calor, no abrigo para os dias de vento, no calor para as noites frias... pois isso tudo deve ser provido por você.

Mas e quando eu estiver doente? Alguém precisa cuidar dele pra você! E quando eu estiver cansado? Será que ele espera até amanhã para eu assoprar suas sementes? Podes ter certeza: não!

Vou contar 3 curtas histórias para ilustrar esse compromisso. A primeira delas é sobre um colega que tinha um coleiro que começou a fazer um barulhinho para respirar. Claro sinal de infecção respiratória. Pela nossa experiência, recomendamos uma consulta com o veterinário (temos uma ótima especialista em nossa cidade). Ele levou na veterinária e ela passou o tratamento. Veja um pouco sobre o tratamento necessário em http://www.quintodia.com.br/artigosdetalhe.php?id=10. Pois bem, a decisão do nosso amigo foi não tratar deste jeito, muito trabalho. Resultado? Coleiro morto. Culpa de quem?

A segunda, fala de uma época onde eu decidi mudar alimentação de meus bicudos para extrusada. Na época tínhamos mais de 50 bicudos. Pois bem, um deles não se adaptou. Um de 50. E eu queria que ele se alimentasse de extrusada. Mas ele não queria comer. Forcei a barra. Resultado: um bicudo a menos no mundo. Culpa de quem?

A terceira história é uma história coletiva, alguns filhotes nascem com problemas, aqui, há muito problema de relacionamento entre mãe e filhos. (rsss) Por criarmos para fibra, tanto fêmeas quanto machos ou filhotes, são muito nervosos. As vezes brigam. E aí o que fazer? Tiramos os filhotes e tratamos no bico. Mas aí ficamos reféns. Não podemos sair de casa. É um trabalho enorme, mas temos o compromisso com eles. Resultado: dezenas de bicudos a mais no mundo. É isso que eu digo. A recompensa existe.

Por isso, por favor. Antes de tornar-se um criador, antes de adquirir seu primeiro bicudo, pense em quantos você consegue possuir para poder dedicar-se por inteiro e suprir todas as necessidades. Não é fácil, mas vale a pena. Nos vemos em breve, espero que estas palavras sejam apreciadas.

< voltar

 
 
www.quintodia.com.br - 2017 - Desenvolvimento: