ARTIGOS
 
03/11/2016 - 15:28h
10 lições

Gostaria de compartilhar com quem perde um pouco de tempo acessando esse meio de comunicação, já meio obsoleto, um pouco sobre minhas experiências, resultados e opiniões.
 
Esse texto tem como objetivo compartilhar conhecimento útil pra alguns e inútil pra outros, desabafo, esperança e reflexões sobre uma atividade que eu adoro fazer: A CRIAÇÃO DE BICUDOS PARA TORNEIOS DE FIBRA.
 
Alerta aos leitores, vou expressar minha opinião sobre vários assuntos, num canal público mantido por mim. Então caso não queira "ler" as minhas opiniões, pode parar por aqui. Caso discorde, ficarei feliz em discutir sobre qualquer um dos pontos de vista compartilhados...
 
Quem nos acompanha já conhece a história, começamos há algum tempo com apenas um bicudo. O primeiro torneio foi apaixonante, o primeiro filhote consolidou a paixão. E por enquanto eu continuo com vontade (muito menos) de ter meus bicudos, criar e participar dos torneios.
 
A primeira lição que gostaria de compartilhar é a seguinte: Compre o que você pode pagar. Quando comprei o Gengis Khan, o vendedor me pediu um valor que eu não podia pagar. Peguei um emprestimo (36x no bradesco) e paguei o bicudo a vista. O que isso tem a ver com a criação? Seu nome. Ficar conhecido nesse meio como caloteiro é sinistro! Todo mundo se conhece.
 
A segunda lição, ainda um desdobramento da primeira, não caia nas armadilhas para sua índole e carater. Quando lhe oferecerem um bicudo para vc comecar a pagar após 12 meses, fica esperto. Por que é muito provável que durante esses 12 meses você tenha outras "oportunidades" e acabe por jogar no lixo sua palavra e reputação, devolvendo o bicudo bem na hora que deveria começar a pagar. Isso é fatal para sua credibilidade.
 
A terceira lição é que não existe concorrência para criação de passarinhos. Sempre vai ter mercado, pois quem tem um bicudo e gosta, pode ter 2, 3, 4... então não tem porque "esconder" o jogo. Compartilhe informações, dicas, genéticas...
 
Quarta lição, você tem certeza que deseja criar? Crie por você, pois a perseguição é grande, a burocracia é chata e o IBAMA faz tudo que pode para atrapalhar a criação. Então se há dúvidas, comece tendo bicudos apenas pra cantar em casa, depois vá aos torneios... e somente inicie uma criação se estiver seguro do que quer. O bicho não tem culpa...
 
A nossa Quinta lição é que criando coisa boa com coisa boa, o resultado quase sempre é bom. Portanto, invista em genética. Siga o camimho já trilhado por tantos outros criadores e colha o fruto do trabalho dos pioneiros. Criar porcaria desanima !
 
Sexta lição, tenha a quantidade de bicudos que você consegue olhar por, pelo menos 15 minutos, todos os dias. Caso isso fique difícil, está na hora de dispor de alguns e parar de comprar. Bicudo é um pássaro guerreiro, instintivamente, ele tenta esconder qualquer problema que o deixe mais fraco. E um dia doente sem medicação pode resultar na morte do bicudo.
Ainda sobre saúde, exames parasitológicos 2x por ano, são obrigação. Não descuide da saúde dos seus bicudos.
 
A sétima lição é que você não pode deixar de ter em casa, acetilcisteína (xarope), Enro flec e Baycox. os dois primeiros são para ajudar no tratamento de doenças respiratórias. O terceiro é para o tratamento da coccidiose. 
 
A oitava lição é referente as raças. Hoje são muitas raças/linhas genéticas que possuem algum tipo de resultado na roda. Mas tal fato talvez se deva muito mais ao fato de haver uma grande criação em ambiente doméstico do que resultados da determinada raça em si.
#MinhaOpinião: Vai adquirir pensando em criar no futuro, vai nas seguintes linhas Latino x Querência ou Sobe Desce. Eu particularmente prefiro a linha peão, dentro dos sobe desces... pelo simples fato de podermos ter uma comprovação por DNA. Latino x Querência também podemos, mas.... 
#History?: Assim que saíram os exames de genotipagem, diz a lenda, que um grupo de criadores de uma cidade no estado do Rio de Janeiro alugou uma VAN e foi devolver um lote considerável de supostos filhos de um famoso reprodutor... será que é verdade?
#Aconteceucomigo: Adquiri uma fêmea capa de revista, pelo preço de um campeão. Negócio honesto, entre amigos honestos, muita confiança envolvida. Ao fazer o exame de DNA a linhagem da tal fêmea não correspondia com o que se acreditava... Resultado, negócio desfeito e muito desconforto! Só acredite no exame!!!
Enfim, há muita informação e uma enorme oferta para quem quer começar. Basta buscar aquilo que possa ser comprovado como verdade.
 
A nona lição eu custei pra aprender: menos é mais. Quanto menos bicudos você tiver, maior será o cuidado e consequentemente o resultado. Seja em torneio seja em reprodução. 
 
E por último... F.O.D.A.-S.E. ! ! !
 
O foda-se tem poder, quanto menos expectativa você coloca na sua criação, mais feliz você será. Procure esse botão mágico em sua mente e use sem moderação. 
 
Update1: 
 
Bom e barato não existe. Passarinho não é necessidade, é luxo. Os de torneio então, mais luxo ainda. Quer ter um campeão? Tem que investir. Não há segredo.


Update 2:

Estória todo mundo pode contar... História, pouca gente tem pra mostrar!
 

< voltar

 
 
www.quintodia.com.br - 2017 - Desenvolvimento: