CRIAÇÃO DE BICUDOS E O JOGO SUPER TRUNFO

13/02/2019

O mundo atual vive talvez a maior transformação de sua história. Vivemos uma revolução em nossas vidas multiplicada exponencialmente pelos meios digitais.

A capacidade computacional hoje permite um infinito universo de possibildiades e inovações, grandes computadores de 5 anos atras hoje em dia cabem no seu bolso e ainda fazem a função de telefone! rsss

Essa transformação digital está transformando as relações entre as pessoas e as vidas tem se tornado cada vez mais virtuais através do facebook, instagram ou grupos de whatsapp, cada vez mais o virtual tem tomado lugar do mundo real. 

Antigamente havia um jogo de cartas chamado Super Trunfo, onde se colecionavam temas desde carros até aviões ou animais perigosos e a disputa era geralmente entre duas pessoas e quem tinha determinado atributo maior ganhava a carta do outro. O jogo acabava quando alguem ficava sem cartas.

Você deve estar se perguntando se eu fiquei louco! O que a criação de bicudos tem em relação com o jogo super trunfo? O que esse jogo antigão tem em relação ao mundo digital?? Eu já respondo:

TUDO!!!

A facilidade como as informações circulam e a superficialidade das relações humanas atualmente transformaram a criação de bicudos em algo bizarro.

Muitos, grande parcela dos criadores viraram jogadores de super trunfo. Gente que nunca criou nada, que nunca fez um bicudo galar, nunca segurou um filhote na mão para anilhar deixou de ser fulano para ser Criatório Isso ou Criadouro Aquilo, sempre com fibra e repetição.

Engraçado que quando surge um novo "criatório" já vem uma enchurrada de cartinhas (os famosos crachás) com pedigrees fora de série, e aquilo é o plantel do novo criador. 

E vai alem. Quase 100% do plantel é composto por pássaros que não possuem idade de reprodução. E entra ano e sai ano e alguns "criatórios" estão sempre com filhotes em sua maioria. Quando começam a criar? Porque isso?

Porque tal qual o Super trunfo, essa dispouta pra ver quem tem o melhor crachá torna os "plantéis" altamente dinamicos. Basta um pássaro diferente ser campeão, ou uma novidade aparecer cantando muito e a turma vai atrás. Larga de canto ou troca um filhote do ano anterior que saiu de moda e vai pra novidade. E isso tem sido comum.

As vezes vendo a movimentação dos grupos de Whatsapp fico imaginado aquela turma de marmanjos com suas cartinhas jogando super trunfo com pedigrees de bicudos e mudando de cartas de maneira cada vez mais rápida.

A parte ruim disso é que aqueles pedigrees que estão nos crachás estao sendo banalizados, cada vez menos pessoas leva em consideração o bicudo em si, ou os anos que foram gastos até se conseguir aquele determinado cruzamento. E principalmente, o tempo necessário pra avaliar se ali tem um potencial competidor ou não.

Muito menos gente ainda leva em consideração que a maioria das megas apostas, dos poderosos pedigrees não vão se tornar super trunfo (aquela carta que ganha de todas as outras). Muitos sequer ouvem seus bicudos darem o primeiro grito pardo, a primeira nota, o primeiro canto. Muitos nem ao menos tem o prazer de acasalar seu bicudo e ver ele se soltando para cantar pros outros mostrando o resultado de tudo aquilo que está no pedigree.

Está se perdendo a parte mais legal que é limpar o fundo cheio de merda, trocar a água, soprar uma semente, escolher a femea, levar pra disputar, ir aos torneios. Cada vez mais o importante é anunciar logo no grupo: Nova Aquisição! E aí começa o super trunfo de novo. É só um postar que a galera começa... E o rolo acontece sem o cara nem ver o bicudo que adquiriu e já troca por outro... nunca para!

Precisamos repensar.
Voltar as origens. 
Curtir os bicudos, as bicudas, os filhotes....
Se você quer viver a experiência de ter um bicudo, de criar um bicudo, de ir ao torneio com um bicudo, você precisa do bicudo. Do bicudo. 

O que eu gosto num bicudo? Qual a linhagem tem essas características que eu gosto? Tenho conversado com amigos que estão começando nos bicudos aquirindo "cartas" porque ouviu falar mas não sabem se aquela linhagem é precoce, é pra fibra, repetição, aprendizado de canto ... 

Tá divertido de ver! Só que não!

A única certeza é que não vai ficar assim, o processo de mudança está só começando, então isso ainda tem que amadurecer um pouco até sabermos como vai ficar a coisa. Enquanto isso, volto a usar uma frase famosa do meu saudoso amigo Magela:
"Eu só queria criar passarinho!"

#Homenagem ao LULU de Piracicaba

http://quintodia.com.br 2019 - Desenvolvimento: Fênix Sites